Pequenas luzes, simplicidade

Este blogue é destinado a pessoas que gostam de pensar sem as limitações impostas pelos modismos e pelas instituições sejam quais forem; que conseguem rir de si mesmas e de tudo, sem sentir culpa; que conseguem olhar além do próprio umbigo.
============================
Este não é um blogue acadêmico, nem jornalístico, não é um blogue temático e não é politicamente correto (modismo idiota americano)! Este blogue pretende ser um espaço de idéias sem a formalidade acadêmica, livre, de conteúdo variado, sem nenhum compromisso temático, ideológico, partidário, étnico, religioso, essas bobagens todas. Ou seja, é politicamente pentelho! e cheio de contradições! como eu! Quem espera respostas prontas e uma enxurrada de racionalidade, que vá ler Kant!
===========================

21 de mar de 2012

Vida de Pastor

(aos seminaristas de hoje que realmente querem servir o Povo de Deus e não faturar no negócio religioso)
Novo sentido espiritualidade 01Quando estudava no Seminário, em São Paulo, tirávamos algumas tardes de sábado e nos reuníamos, alunos e professores, para um bate papo informal, onde o que mais acontecia era a troca de experiências e um partilhar da vida.  Bons tempos em que a gente partilhava sentimentos, emoções, esperanças e fracassos com pessoas reais, olho no olho, e não nas redes sociais.  Eu costumava anotar algumas coisas em um caderno, as coisas que chamavam a atenção, que marcavam o coração… uma espécie de registro de momentos e palavras que impressionaram minha vivência aos 22 anos.
Esses caderninhos guardo até hoje, são minha memória afetiva e intelectual.
Lembro especialmente de uma tarde, o grupo não era grande, umas sete ou oito pessoas, e o papo com um velho professor, já falecido...
O assunto correu e chegou na “vida de pastor”… o nosso professor contou algumas de suas vivências, em alguns casos rimos muito, mas de repente nos saiu com essa: (tradução dos meus garranchos no caderno e devidamente editado para ser uma postagem)
Vários de vocês estão aqui estudando porque almejam seguir o ministério ordenado. Não sei se têm ideia da loucura que estão querendo. Isso não é profissão, mas é vocação.  Não é uma carreira, mas é um caminho que sempre nos leva para um lugar sombrio: a alma humana. A tua alma e a alma dos outros.
Você precisa estar prevenido, porque aqui no Seminário, tudo é sonho e projeto, mas lá, no exercício do ministério, na solidão que isso é, a coisa é muito diferente.
Logo de início aviso que felicidade no casamento vai ser algo difícil, a menos que você encontre a esposa certa (naquele tempo mal se falava em ordenação de mulheres), que não deve ser prioritariamente crente mas tem de ter um espírito de abnegação grande e não ser ambiciosa. Um pastor é quase como um médico: tem plantão 24 horas todos os dias, inclusive domingos! Depois do culto, pode acontecer que àquele almoço na casa da sogra, tua esposa e os filhos vão mas você não vá porque a Dona Maricota foi internada e está mal, a família pede sua presença para acompanhar a situação, só que o hospital é exatamente aquele que fica do outro lado da cidade, você não tem carro e provavelmente vai passar lá o resto do dia, quando não a noite também. E, pode ter certeza, sempre aparecerá uma Dona Maricota ou uma emergência pastoral no dia do aniversário da tua esposa, dos teus filhos, no do casamento, no seu mesmo, ou no dia da confraternização da escola das crianças.
Muitas vezes você vai ficar angustiado porque teu soldo é pequeno, e teus filhos querem coisas que você não pode comprar. Tirar férias será sempre um tormento, a preocupação com a igreja e com quem poderá substituir você nesse tempo. Acostumem-se a tirar férias curtas mas pelo menos duas vezes por ano, porque ninguém é de ferro.
As pessoas da Igreja e mesmo de fora da Igreja serão exigentes com você. Você não tem o direito de errar, de ficar triste, de ter dúvidas… ninguém pensa que um pastor também precisa de um pastor, e o Bispo, que deveria fazer isso no mínimo, geralmente não faz; até porque o Bispo também precisa de um pastor, e muito.
Você terá de ser sempre o amigo, o ouvinte, o solidário, o pau-pra-toda obra. Ninguém estará interessado nos problemas que você tem, mas todos querem que você se interesse pelos problemas deles. Poucas vezes você terá um amigo, um ouvinte, alguém solidário, alguém que se ofereça para ajudar você na obra.  Você será a latrina onde as pessoas jogarão suas merdas interiores… então ai, lembre que o Cristo é bom faxineiro e sempre virá para dar a descarga. Nunca compartilhe essas merdas, deixe que o Faxineiro cuide delas, e Ele tem muitas maneiras de fazer isso… com o tempo você entenderá. Coloque sempre essas coisas ao pé da Cruz de Cristo e jamais comente com ninguém, nem mesmo com quem falou com você.
Você dirá que Cristo é o seu pastor; isso é bonito, mas - no dia a dia - ore para que Ele seja o seu pastor através de alguém que possa te abraçar sem medo, te ouvir e compreender que você é humano, tem sentimentos, sonhos, desejos, frustrações e também é pecador. Cercado de muita gente, o pastor está imerso em uma solidão tremenda. Nem mesmo seus colegas estarão disponíveis, por isso cuide que a burocracia da igreja não destrua as amizades que você está construindo aqui no Seminário; não se deixe contaminar pela inveja e pelo espírito de concorrência; seja humilde e lembre-se que você e todos que são pastores, são apenas servos de UM OUTRO, o verdadeiro e único Pastor.
Pense bem antes de aceitar a ordenação. Mas saiba que, se Deus te escolheu, Ele estará contigo sempre, até mesmo na tua fraqueza e no teu pecado. Por isso, reserve sempre parte do teu tempo em solidão, escrevendo, meditando, lendo, e orando, para ouvir a voz do Senhor.
Após 26 anos de vida no ministério ordenado, mesmo tendo passado a maior parte desse tempo servindo à Igreja em funções mais específicas, eu entendo e muito bem, as palavras do velho professor. Sei o quanto ele estava certo. É uma pena que hoje em dia a maioria dos que se dizem pastores são empresários da religião; pena que virou profissão.
Mas ainda há os loucos que aceitam o Chamado. Eu tento, às vezes com dor por causa dos meus muitos pecados, fracassos e sonhos jamais realizados, continuar aceitando o Chamado. Que Deus nos ajude!
===/===

6 comentários:

  1. Caríssimo Rev. Luiz Caetano,
    Graça e Paz!
    Parabens pela bela reflexão. Será de muito utilidade para os seminaristas e os vocacionados.

    Graça e benção para ti, família e amigos.
    Sem. Jorge de França

    ResponderExcluir
  2. MUITO INTERESSANTE, SUA REFLEXÃO SOBRE VIDA DE PASTOR. COMEÇO MEU COMENTÁRIO FAZENDO DE SUAS PALAVRAS AS MINHAS QUE DIZ ASSIM: "É uma pena que hoje em dia a maioria dos que se dizem pastores são empresários da religião; pena que virou profissão".
    É MEU QUERIDO ISSO É UMA COISA MUITO SÉRIA, E NOS DIAS DE HOJE, SER PASTOR VIROU PROFISSÃO, RECENTEMENTE NO SEMINÁRIO OUVI UM COMENTÁRIO DE ALGUNS COLEGAS, FALANDO QUE: SER PASTOR É A MELHOR FORMA DE GANHAR DINHEIRO SEM SE PREOCUPAR DE ESTUDAR, SEM PRECISAR DE SE MATAR NOS LIVROS E CADERNOS, SEM PRECISAR DE ENFRENTAR UM CONCURSO QUALQUER QUE TRAGA UMA ESTABILIDADE FINANCEIRA, POR ISSO QUE EU QUERO SER PASTOR.
    FIQUEI A PENSAR NESSA CONVERSA E NO COMENTÁRIO DO GRUPO PRINCIPALMENTE, DE UM RAPAZ DE MAIS OU MENOS UNS 25 ANOS E CHEGUEI A UMA CONCLUSÃO, ATÉ QUE PONTO VAI CHEGAR ESSA NOVELA? PERGUNTEI PRA MIM MESMO, POIS BEM NOS DIAS DE HOJE COMO O SENHOR FALOU SER PASTOR VIROU PROFISSÃO, VIROU MEIO DE GANHAR DINHEIRO, DE SE ESTABILIZAR NA VIDA. AGORA PERGUNTO EU: "ONDE FICA AS OUTRAS VIDAS"? OU SEJA COMO FICAM AS VIDAS QUE PRECISA DE OUTRA VIDA? NO CASO DE UM PASTOR. POIS PASTOR, ELE É AQUELE QUE DE UMA CERTA FORMA, ELE É A LATRINA DOS OUTROS COMO FALADO NO SEU TEXTO,POIS BEM MAS MUITOS HOJE NÃO QUEREM SER LATRINAS E SIM AS MERDAS PRA DESCARREGAREM NAS MUITAS LATRINAS EXISTENTES QUE SÃO OS FIÉS. DESCARREGAM, AQUILO QUE EU CHAMO DE LADAINHAS,COM ISSO SUGAM DE SEUS SEGUIDORES, TUDO O QUE ESTÁ EM SEU ALCANCE, PARA QUE ASSIM POSSAM SUBIR NA VIDA E NÃO SE PREOCUPANDO, COM SEU PRÓXIMO.
    É HORA DE ACORDAR-MOS SER PASTOR NÃO É SE PROMOVER NAS, COSTAS DAS PESSOAS MAS SIM DE UMA CERTA FORMA "CARREGA-LAS NAS COSTAS" NOS OMBROS E ETC... CRISTO NOS DEIXOU UM EXEMPLO CLARO SOBRE ISSO QUE O BOM PASTOR DA A VIDA PELAS OVELHAS...QUE DEUS ABENÇOE UM ABRAÇO...FICA NA PAZ...

    ResponderExcluir
  3. Caro Seminarista, Paz e Bem!
    Fico feliz em saber que, pelo menos tu não estás no Seminário para se safar das dificuldades do mercado de trabalho, mas para atender ao Chamado que sentes em teu coração. Que Deus abençoe teu caminho e confirme a tua vocação, e seja teu grande Companheiro de ministério.
    Mas lembre-se sempre que é EM CRISTO, COM CRISTO E POR CRISTO que servirás aos outros, não por ti mesmo! Nunca te esqueças que és sempre o Servo que cumpre apenas o seu dever. Nunca deixe subir à tua cabeça qualquer obra que Deus realize através do teu ministério, antes sempre em oração e contemplação, agradeça-O por servir-Se de ti para operar o bem!
    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Excelente, Mestre!
    Estou reproduzindo no Circulo Teológico.
    O seu texto é digno de divulgação...

    ResponderExcluir
  5. Sempre achei que a missão de quem se propõe seguir a Cristo, mormente dos pastores, fosse aquela ensinada no Sermão Profético: "Tive fome e me destes de comer, tive sede e me deste de beber, estive doente e prisioneiro e me visitastes. O que fizestes ao menor dos meus irmãos a mim o fizestes." Tal como fez Irmã Dulce. E clamar por Justiça ao lado dos pobres. Tal como fez Luther King. Eles são, para mim, os exemplos máximos da verdadeira vida cristã no século XX (e haverá alguém assim neste século XXI?). A baiana e o americano provaram o erro de Nietzsche quando disse que o último cristão morreu na cruz.
    Desgraçadamente, pastores cristãos de fato são poucos. Dá nojo abrir os jornais e ver os pastores ostentando uma fortuna honestamente inexplicável ou ligar a TV e vê-los praticar estelionato e charlatanismo em nome de Cristo, ou usar a Bíblia para semear ódio e intolerância.
    O clérigo que se propuser a seguir os ensinamentos de Cristo não terá descanso, pois sempre haverá pessoas aflitas em busca de seu abraço.
    Um clérigo assim precisará de muitos abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem toda razão, Edson. Obrigado pelo comentário!

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário.
Ele será submetido à avaliação, e se aprovado, será postado.
Este não é um blog de debates ou discussões, mas de reflexão.