Pequenas luzes, simplicidade

Este blogue é destinado a pessoas que gostam de pensar sem as limitações impostas pelos modismos e pelas instituições sejam quais forem; que conseguem rir de si mesmas e de tudo, sem sentir culpa; que conseguem olhar além do próprio umbigo.
============================
Este não é um blogue acadêmico, nem jornalístico, não é um blogue temático e não é politicamente correto (modismo idiota americano)! Este blogue pretende ser um espaço de idéias sem a formalidade acadêmica, livre, de conteúdo variado, sem nenhum compromisso temático, ideológico, partidário, étnico, religioso, essas bobagens todas. Ou seja, é politicamente pentelho! e cheio de contradições! como eu! Quem espera respostas prontas e uma enxurrada de racionalidade, que vá ler Kant!
===========================

18 de set de 2013

A estranha rotina de um sujeito estranho

Notívago, ele nunca se deita antes das cinco horas da manhã, nem levanta-se antes de meio dia. Ao levantar-se, toma seu desjejum, sempre o mingau de aveia, o café preto com bolachas água e sal, sem manteiga, e a maçã, ou a pera, que se alternam nos dias da semana. Aos domingos, dispensa o café e as bolachas, contenta-se com o mingau e uma boa porção de mamão com creme de leite.
Após o café, todos os dias, exceto sábado e domingo, telefona para o seu administrador geral e informa-se da situação dos seus investimentos: imóveis, ações, uma grande fazenda de gado, uma indústria média de auto-peças. Quase raramente visita a sede do escritório geral da holding, onde tem à sua disposição uma enorme sala com decoração austera, de muito bom gosto. A Secretária chega em sua mansão religiosamente às 14 horas, de segunda à sexta-feira. Ela traz relatórios e a correspondência. Após lê-los de forma diagonal, dita algumas cartas e despacha a secretária nunca depois das 17 horas.
Então, lhe é servido, a título de almoço (ou jantar, fica a critério do leitor), uma salada bem temperada, uma carne assada (que varia entre carne bovina, frango, ou pato); nas sextas-feiras é sempre um peixe ou frutos do mar. Após a refeição, ele caminha por trinta minutos pelo jardim da mansão, dá orientações ao jardineiro que já o espera ao lado da fonte luminosa (no inverno já está acesa, pois o sol se põe muito cedo).